Rock Students

Será que você precisa mesmo de um professor nativo?

Equipe Pedagógica Rockfeller | 24/06/2021 | 4 min de leitura | Voltar

Muitos cursos de idiomas estão usando o fator “professores nativos” como estratégia de marketing. Você já deve ter visto algum patrocinado no youtube ou qualquer outra rede social com um “gringo” falando português carregado e afirmando que para aprender inglês, você precisa ter professores nativos. Será que você precisa mesmo de um professor nativo?

Aprender ou adquirir um idioma?

Vamos abordar primeiro, e novamente, a questão da aquisição e aprendizado de um idioma. Caso você não saiba a diferença entre eles ainda, basta acessar este post onde te explicamos tudinho. 

No caso da aquisição, realmente faz algum sentido você ter contato com nativos para adquirir a língua. Pois é o mesmo processo pelo qual passamos quando nascemos e aprendemos nossa língua materna ou o que acontece quando uma pessoa vai morar em um país onde a língua-alvo é oficial. E seu contato com pessoas no trabalho, escola e no dia a dia caracterizam a aquisição desta língua. 

Mesmo assim, é muito comum termos pais brasileiros que falam inglês e não são nativos, criando filhos bilíngues com sucesso. Por isso, é preciso sempre analisar este cenário diante das transformações sociais que vivemos constantemente, já que as línguas são fenômenos vivos que se adaptam à nossa realidade.

Agora vamos falar de aprendizado. Quando se afirma que você só deve aprender qualquer idioma com um nativo, isto quer dizer que qualquer nativo pode ensinar sua língua materna para aprendizes estrangeiros. Então imagine você, nascido no Brasil e nativo da língua portuguesa, ensinando português para uma turma de alunos coreanos, alemães ou de qualquer outra nacionalidade. Você conseguiria fazer isso sem qualquer formação adequada, simplesmente porque você cresceu falando português em um país onde esta é a língua oficial?

Já sabemos que sua resposta é NÃO! 

Ensinar requer pedagogia

Será que você precisa mesmo de um professor nativo?

Nenhum brasileiro sem formação pedagógica conseguiria sequer alfabetizar uma criança brasileira simplesmente por ser nativo. Isto se deve ao fato de que o processo de aprendizado está intimamente ligado a técnicas, métodos, e inúmeros outros fatores cognitivos e pedagógicos que não precisamos detalhar aqui. Porém, são fundamentais para o sucesso do aprendiz em seu objetivo de aprendizado. 

Desta forma, para que um professor de inglês nativo possa lecionar inglês para estrangeiros, ele precisa ter uma formação mínima para tal, por isso recomenda-se a certificação TOEFL (Teaching English for Speakers of Other Languages) ou TEFL (Teaching English as a Foreign Language).  Este curso é oferecido pela maioria das universidades estrangeiras. E mesmo que esta não seja a escolha de carreira da maioria dos universitários cuja língua materna é o inglês, temos sim uma pequena parcela de jovens que optam por rodar o mundo ensinando sua língua para estrangeiros.

Então quer dizer que o professor nativo com formação é o que eu preciso para aprender inglês, certo?

Será que você precisa mesmo de um professor nativo?

Calma que ainda há um outro fator importante a analisar– a importância da empatia de aprendizado que é inata a professores estrangeiros que passaram pela mesma experiência de aprendizado de seus alunos. Professores de inglês brasileiros são capazes de reconhecer os desafios que seus alunos terão durante cada etapa de aprendizado pois, primeiramente, compartilham a mesma língua nativa, e segundo, passaram pelo mesmo desafio. 

Assim, eles saberão como te ajudar a pronunciar o som de /TH/ com mais propriedade, serão capazes de fazer aquela comparação gramatical típica entre o inglês e o português (quando possível), e principalmente, serão sua inspiração para você atingir o seu objetivo, pois seu foco não deve ser se tornar um falante nativo (o que é basicamente impossível – te explicaremos o porquê em outro post), e sim, ser fluente em inglês, exatamente como seu professor.

A importância dos não-nativos

Muitos estudos atuais já reconhecem a importância de professores não-nativos para diminuir a ansiedade e o choque cultural que os alunos iniciantes possam ter. Utilizam inclusive a língua materna em comum como uma ponte para o conhecimento do novo, do que é diferente de forma mais acolhedora e menos traumática. E esta já é uma realidade em muitas escolas estrangeiras. Em especial, as que possuem crianças que migraram com seus pais, mas ainda estão no processo de adaptação para sua nova realidade.

Então, será que você precisa mesmo de um professor nativo? Ou seria melhor um não nativo? Esta resposta depende de muitos fatores envolvidos no seu processo de aprendizagem. Mas podemos afirmar que ter professores não nativos em suas aulas aqui no Brasil será uma experiência muito rica para você, e com certeza, menos traumática se você é iniciante. Os professores nativos são uma excelente opção para intercâmbios e cursos no exterior, quando você já estiver em um nível mais avançado de fluência e mais seguro na hora de se comunicar.

Portanto, valorize o seu professor de inglês não nativo, se espelhe nele e aproveite cada oportunidade de aprender com ele. E se estiver planejando um intercâmbio ou curso no exterior, acesse este link.


Escrito por:

Equipe Pedagógica Rockfeller

Você também pode se interessar


Deixe Seu comentário

Política de comentários: Adoramos os comentários e agradecemos o tempo que os leitores gastam para compartilhar ideias e dar feedback. No entanto, todos os comentários são moderados manualmente e aqueles considerados spam ou exclusivamente promocionais serão excluídos!

Conheça nossos cursos