Rock Travel

Networking não precisa de tradução e sim de fluência em inglês

Equipe Pedagógica Rockfeller | 02/09/2021 | 3 min de leitura | Voltar

Networking não precisa de tradução e sim de fluência em inglês. Se você comparar as definições do termo networking em português, você vai encontrar uma variação enorme de termos que tentam traduzir o vocábulo em inglês ao invés de simplesmente colocá-lo em uma posição de utilidade em nossas vidas.

Por isso, muito mais importante do que saber definir networking, é saber praticar um bom networking. E fazer isso sem a língua inglesa, faz com que você limite não só o seu potencial, mas priva a todo o resto do mundo de crescer e aprender com você!

“NETWORKING É O PROCESSO DE DESENVOLVER E ATIVAR SUA REDE DE CONTATOS PARA AUMENTAR O SEU NEGÓCIO, SEU CONHECIMENTO E EXPANDIR A SUA ESFERA DE INFLUÊNCIA PARA CONTRIBUIR PARA A SUA COMUNIDADE.” Ivan Misner

Gostamos da definição acima porque além de fácil de entender, ela é a mais próxima da realidade e utilidade do networking atualmente. É um conceito forte e que gera empoderamento principalmente por considerar que NETWORKING NÃO É FAZER CONTATOS, É CRIAR CONEXÕES PARA GERAR TRANSFORMAÇÃO. Sem considerar este cenário, você só estaria nutrindo relacionamentos profissionais para fins comerciais. E temos uma história incrível para compartilhar com você e ilustrar a necessidade de globalização de sua existência.

Conheça Aline Couto!

Networking não precisa de tradução e sim de fluência em inglês

Aline é publicitária e desde os 21 anos, é empresária e já fundou mais de 7 empresas. Uma de suas maiores oportunidades profissionais, foi licenciar produtos digitais do mercado norte americano, para o mercado brasileiro, o que revolucionaria sua carreira profissional para o mercado de afiliados e e-commerce.

“Eu aprendi inglês com 7 anos e a partir de então, o idioma é parte ativa de minha identidade pessoal e profissional. Quando comecei a trabalhar e descobrir novas áreas como SEO, por exemplo, os únicos materiais disponíveis eram em inglês, o que me facilitou a estudar coisas que praticamente não existiam no Brasil. Esse conhecimento me abriu portas para palestrar em grandes eventos nacionais, publicar artigos e participar de podcasts de renome nacional”, conta ela.

Alçando voos

Networking não precisa de tradução e sim de fluência em inglês

“Enquanto minha carreira decolava no Brasil, eu viajava o mundo atrás de conferências na área e o networking se tornou parte da minha vida. Ter a oportunidade de conhecer pessoas que compartilhavam o mesmo mindset, tanto no Brasil quanto no exterior, me deu o conhecimento e os contatos para expandir meus negócios a níveis que nunca imaginei conquistar. E o inglês foi peça chave. Conferências ao redor do mundo, mesmo em lugares exóticos como a Tailândia, são em inglês. Um dos pontos mais altos na minha carreira, foi receber convites para palestrar em Barcelona e Nova Delhi, e isso só foi possível porque meu inglês é fluente”, destaca a publicitária.

E continua: “O inglês sempre me aproximou de todas as pessoas com as quais eu precisava me conectar para aprender, mas também, pessoas a quem eu poderia ajudar. Uma lição importante que aprendi com o empreendedorismo internacional é que sozinho, você não chega a lugar nenhum.” 

Vantagem competitiva real

“Além disso, o mercado brasileiro, ao menos na minha área, está 10 anos atrás do mercado internacional. Por isso, o meu networking me dá a vantagem de estar à frente dos meus players e me inspira a crescer e aprender sempre mais. Outra enorme vantagem do meu networking internacional é poder atuar no mercado internacional, o qual é menos burocrático e muito mais fácil de navegar. E aí vem a cereja do bolo, tudo isso me permite morar e trabalhar de onde eu quiser. E tudo começou bem antes, lá nos meus 7 aninhos. Agora, o céu é o limite”,  conta Aline.

Há tantas Alines por aí que trilharam um caminho de sucesso e prosperidade, e contribuem para um mundo mais justo e globalizado. Por isso, precisamos de seu networking, mas ele precisa de sua fluência.

Curtiu conhecer a Aline? Se inspirou com a história dela? Então comece agora a reescrever a sua história com a gente. Afinal, como você já viu, Networking não precisa de tradução e sim de fluência em inglês.

Entrevistada @alineideias


Escrito por:

Equipe Pedagógica Rockfeller

Você também pode se interessar


Deixe Seu comentário

Política de comentários: Adoramos os comentários e agradecemos o tempo que os leitores gastam para compartilhar ideias e dar feedback. No entanto, todos os comentários são moderados manualmente e aqueles considerados spam ou exclusivamente promocionais serão excluídos!

Conheça nossos cursos